dd
• NOTÍCIAS
Justiça condena quatro acusados de participar da morte de procurador de Chopinzinho
Adicionada: 06/12/2017
 



Caso ocorreu em 2015; procurador tinha 51 anos e foi morto a tiros na frente das filhas quando chegava em casa



Quatro acusados de envolvimento na morte do procurador municipal de Chopinzinho, no sudoeste do Paraná, Algacir Teixeira de Lima, foram condenados por volta das 21h desta terça-feira (05).

 

O júri popular começou por volta das 9h de segunda-feira (04) e foi realizado em Guarapuava, na região central do estado. A época, em 2015, Algacir Lima tinha 51 anos e foi morto a tiros na frente das filhas quando chegava em casa.

 

Segundo o Ministério Público Estadual (MP-PR), o ex-prefeito Leomar Bolzani encomendou o assassinato por conta de denúncias de irregularidades na prefeitura feitas pelo procurador. As investigações apontam ainda que Bolzani combinou o pagamento de R$ 6,5 mil pela morte de Lima. A defesa dele nega qualquer envolvimento.

 

 

Veja quem são os condenados e as respectivas penas:

 

- Darci Lopes de Aquino, que confessou ter atirado contra o procurador, condenado a 16 anos e seis meses em regime fechado;

 

- Giovane Baldissera, ex- assessor acusado de ter encomendado o crime juntamente com o ex-prefeito Leomar Bolzani, condenado a 20 anos em regime fechado;

 

- João Rosa do Nascimento, acusado de ajudar na fuga, condenado a 15 anos em regime fechado;

 

- Jeferson Rosa do Nascimento, acusado de ajudar na fuga, condenado a 10 anos de prisão em regime semiaberto;

 

- O grupo já estava preso em regime fechado desde à época do crime. 

 

- O ex-prefeito Leomar Bolzani, também deve ir a júri popular, mas ainda não há data definida. Atualmente ele cumpre prisão em regime domiciliar.

 

 

Casal condenado

 

Em julho de 2016, o casal acusado de envolvimento no assassinato foi considerado culpado e condenado a 15 anos de prisão por homicídio qualificado. O júri entendeu que a vítima não teve chance de se defender. Elvi Aparecida Haag Ferreira, de 42 anos, e o marido dela, Nilton Ferreira, de 44 anos, contrataram Darci Lopes de Aquino para matar o procurador.

 

O julgamento também foi realizado em Guarapuava, “para que a imparcialidade do processo fosse garantida”, destacou a acusação.



Fonte: G1 PR e RPC | Foto: Reprodução/RPC
 

Versão para impressãoVersão para impressão Enviar para amigoEnviar para amigo
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.