• Leia mais notícias de MEU PET
Gibão traumatizado pela perda da mãe se recusa a abandonar bebê macaco salvo de traficantes
Adicionada: 09/03/2018
 



O gibão Jub-Jib não conseguiu tirar os olhos de Pearl, um bebê macaco que foi levado para um centro de resgate e hospital administrado pela Wildlife Friends Foundation Tailândia (WFFT)



Desde o momento em que Pearl chegou, Jub-Jib seguiu o bebê e seu cuidador por todos os locais. “Ela [Jub-Jib] é sempre doce com todos os animais no hospital. Ela é muito amigável e curiosa [sobre] tudo ao seu redor”, afirma Fiona Burness, gerente de relações públicas e mídias sociais da WFFT, ao The Dodo.

 

Jub-Jib, que agora tem 16 anos, foi acolhida pelo centro de resgate e pelo hospital em 2017. Quinze anos antes disso, ela morava na floresta com sua mãe, que morreu de modo traumático.

 

“Há pouco mais de 15 anos, Jub-Jib vivia com sua família no maior parque nacional da Tailândia, Kaeng Krachan, que faz parte de um dos maiores trechos intactos da floresta tropical no continente do Sudeste Asiático. Esta área cria uma fronteira natural entre a Tailândia e Myanmar. Sabemos que durante uma batalha entre  as forças armadas da Tailândia e Birmânia [Mianmar], sua mãe foi baleada e morta enquanto Jub-Jib se agarrava a ela”, explica a WFFT.

 

Quando sua mãe caiu da árvore e acabou no chão, Jub-Jib caiu com ela e ficou com um ferimento na cabeça. Mas este foi apenas o início. Ao invés de morar em um santuário licenciado, os soldados deram Jub-Jib a um casal local que criara um gibão. Durante 15 anos seguintes, o casal manteve Jub-Jib dentro da residência, dando-lhe alimentos humanos e fazendo com que ela usasse uma fralda.

 

Eles não lhe deram os cuidados necessários. Quando a WFFT a resgatou em 2017, Jub-Jib estava magra, doente e confusa. A equipe considera o resgate de Jub-Jib “um dos casos mais angustiantes de crueldade animal” que já presenciou.

 

“Os sinais de alarme começaram a tocar, pois seus tutores disseram que lhe deram alguns fortes comprimidos para dormir ‘fora do mercado’ para ajudá-la a se acalmar para a viagem a WFFT”, disse um porta-voz da WFFT no Facebook.

 

“Eles informaram que, quando os efeitos colaterais da droga sumissem, ela pareceria um ‘gibão normal’ escalando e andando. Isso não poderia estar mais distante da realidade. Ela saiu da gaiola como uma velha senhora geriátrica. Um gibão de 15 anos deve estar no seu auge, forte, confiante e feliz, sem parecer que está na porta da morte”, completou.

 

Desde o seu resgate, a equipe da WFFT ajudou Jub-Jib a crescer forte e saudável, embora provavelmente ela nunca mais possa retornar à natureza. Ela verifica todos os outros animais no centro, incluindo os cães, gatos e outros gibões. Sua última obsessão é o bebê Pearl, que é uma macaca de cauda longa.

 

Como Jub-Jib, Pearl teve um começo difícil na vida. Embora ninguém saiba realmente qual foi o destino de sua mãe,  traficantes de animais selvagens provavelmente a mataram para manter Pearl, que possui apenas algumas semanas, em cativeiro e vendê-la como um animal doméstico.

 

Pearl acabou em um mercado noturno em Pattaya, na Tailândia e, no mês passado, um homem a comprou por 900 Baht (cerca de US$ 28). O homem a levou para casa e lhe deu banana triturada para mantê-la viva. Após 10 dias, ele decidiu entregá-la a WFFT, juntamente com lóris lentos que também criava no local.

 

Pearl está em boas mãos agora, mas ainda sente falta da mãe. “Por enquanto, Pearl ainda chora pela perda e falta dos cuidados de sua mãe. Ela está segurando ursos de pelúcia como deveria fazer com sua mãe. Ela quer estar quente, se sentir segura, amada”, escreveu um porta-voz da WFFT no Facebook.

 

Ela tem algum conforto em sua nova irmã adotiva, Jub-Jib. Desde a chegada de Pearl, o gibão fica ao lado dos cuidadores sempre que eles estão com o bebê Pearl. As fotos mostram Jub-Jib observando quando uma mulher acaricia Pearl e olhando Pearl enquanto ela é alimentada com uma seringa.

 

A WFFT acredita que, após fazer amizade com tantos outros animais no santuário, Jub-Jib só quer fazer uma nova amiga  e que, de alguma forma, compreende o que o bebê está passando. “Ela é muito doce com o bebê Pearl”, conclui Tom Taylor, gerente geral da WFFT.



Fonte: Anda | Foto: WFFT
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.