• Leia mais notícias de ESPORTES
Chapecoense busca se livrar da síndrome de Robin Hood para embalar na reta decisiva
Adicionada: 09/10/2018
 



Para a partida de domingo a Chape não terá os laterais Eduardo e Bruno Pacheco, suspensos



Não deve ser por acaso que o Robin Hood, personagem que tirava dos ricos e dava aos pobres, usava camisa verde. A Chapecoense segue essa escrita no Campeonato Brasileiro. Das sete vitórias, seis foram contra times da parte de cima da tabela. Venceu Flamengo e Internacional quando as equipes eram líderes. Mas tem tropeçado frente aos clubes do mesmo nível e que buscam o mesmo objetivo: a manutenção na elite. O que caracteriza a chamada síndrome de Robin Hood.

 

Os exemplos recentes vieram foram após as vitórias contra Atlético-PR e Inter. Logo após o time encarou o Fluminense na Arena Condá. Todos no clube esperavam um novo triunfo, mas a Chapecoense levou 2 a 1. Após a partida, jogadores e comissão técnica reconheceram que o time não esteve tão concentrado como nas duas partidas anteriores.

 

Agora, depois de uma vitória suada diante do Atlético-MG, sexto colocado, por 1 a 0, o objetivo é não relaxar diante do Vitória, que está na zona de rebaixamento. Essa é a preocupação do zagueiro Douglas, que voltou ao time titular na rodada passada.

 

– Quando enfrenta um adversário da parte de cima da tabela, o nível de concentração aumenta. Contra adversários diretos também têm que ser assim, tem que encarar da mesma forma. Tem que ter nível de concentração igual contra quem está na parte de cima e contra quem está na parte de baixo da tabela – avaliou.

 

Em sua entrevista coletiva, o zagueiro ressaltou a importância da vitória para sair da posição incômoda que era estar na zona de rebaixamento.  Outro aspecto positivo foi não tomar gol, o que não tinha ocorrido nos 11 jogos anteriores sob o comando de Guto Ferreira. 

 

Para a partida de domingo, às 11h, a Chape não terá os laterais Eduardo e Bruno Pacheco, suspensos. Douglas disse que neste momento é necessário mostrar a força do grupo. E comentou também sobre a função de capitão, que voltou a exercer contra o Atlético-MG.

 

– Independentemente de quem usa a braçadeira de capitão a liderança tem que se colocar, quero estar sempre ajudando sendo capitão ou não – afirmou.

 

Contra o Vitória, a direção da Chapecoense lançou uma promoção de ingressos. Vai ter ingresso a partir de R$ 20. O valor da Geral baixou de R$ 60 para R$ 40. E vai ter mil ingressos pela metade do preço para não sócios. Acompanhante também paga meia entrada. O valor das cadeiras é R$ 60 (descobertas), R$ 100 (laterais) e R$ 120 (centrais).



Fonte: Diário Catarinense | Foto: Chapecoense
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.