• Leia mais notícias de SEGURANÇA
Jovem é condenado a 24 anos de prisão por matar e roubar idoso durante programa sexual em SC
Adicionada: 05/12/2018
 



Ele foi condenado por latrocínio e ocultação de cadáver. O crime aconteceu em Lages, em março desse ano



Um jovem foi condenado a 24 anos de prisão em regime inicialmente fechado por ter matado um comerciante de 60 anos, com intuito de roubar dinheiro, carro e celular. O crime aconteceu em Lages, na Serra catarinense, em março deste ano. A sentença é do dia 29 de novembro. Gustavo Henrique de Jesus Seta da Silva, 21, está preso e confessou o crime.

 

O réu foi condenado por latrocínio (roubo seguido de morte) e ocultação de cadáver. O advogado dele, Maurício Marcos Ribeiro, disse que recorreu e que o crime cometido foi homicídio, não havendo provas no processo que demonstrem que a motivação era roubar a vítima.

 

O homem morto era dono de uma pastelaria em um shopping da cidade. Segundo a sentença, o condenado e a vítima marcaram um programa sexual pela internet. No encontro, no dia 9 de março, os dois se desentenderam, e o jovem agrediu o idoso até ele ficar desacordado. Em seguida, o colocou no carro e dirigiu por 23 quilômetros, com a intenção de matar a vítima e ocultar o cadáver, além de roubar os pertences.

 

Ao chegar próximo à Usina Hidrelétrica do Salto Caveiras, o carro apresentou um problema mecânico. O jovem agrediu novamente a vítima, para confirmar que estaria morta e ocultou o cadáver a uma distância de 70 metros de onde abandonou o veículo. Depois roubou a vítima, indo embora a pé.

 

O corpo foi encontrado no dia 11 de março. Na época em que foi indiciado, a Polícia Civil disse que Gustavo Henrique já tinha 31 passagens policiais, a maioria envolvendo crimes violentos. Em depoimento, o jovem disse que não era garoto de programa, e sim, "freelancer" de programas sexuais.



Fonte: G1 SC | Foto: Polícia Civil
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.