• Leia mais notícias de SAÚDE
SAMU SC será integrado a superintendência com gestão compartilhada entre Bombeiros e Saúde
Adicionada: 09/01/2019
 



Serviço Móvel de Urgência funcionará sob gestão de conselho em conjunto com Bombeiros; atendimento nos municípios também passará para o governo do Estado




Em 100 dias, o novo governador de Santa Catarina deve criar uma nova superintendência que vai unificar os atendimentos pré-hospitalares móvel e fixo em todo o Estado integrando em uma mesma estrutura SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Bombeiros e emergências.

 

Com a criação do novo órgão, o governo concretiza o processo para retomar a gestão dos serviços, iniciado em junho de 2018, retirando por completo a autonomia que o serviço tinha quando era gerido por Organização Social.

 

A proposta prevê a integração de todo o aparato que envolve os dois sistemas, incluindo também os serviços sob a gestão dos municípios.

 

As diretrizes serão definidas em conselho, com 12 cadeiras, composto por membros do Corpo de Bombeiros e Secretaria de Saúde.

 

Nesse redesenho, a empresa que gerencia o SAMU deixa de ser uma Organização Social, que detêm a gestão do serviço, para se tornar uma contratada.

 

Na prática, a gestão passa a ser 100% pública. "Hoje temos duas instituições que prestam serviços similares, o Bombeiros, que é ligado à Segurança Pública, e o SAMU, ligado à Saúde. O que pretendemos é integrar as estruturas. Serão uma série de mudanças", explicou o coronel Aldo Batista Neto, coordenador do Conselho de Gestão do SAMU.

 

Além do atendimento móvel, a superintendência também ficará responsável pelos protocolos de unidades fixas, como as UPAs e emergências dos hospitais públicos. "A política pública é assim, prevê uma continuação do atendimento que começa no 192 (SAMU) ou 193 (Bombeiros). Quando a pessoa chegar no hospital ela terá os mesmos protocolos", emendou o coronel Neto.

 

No caso da incorporação dos serviços realizados pelos municípios, através das Unidades Básicas de Saúde, o Estado espera agregar à superintendência 93 viaturas. A essas, se somam as 23 Unidades Avançadas (UTI Móveis) do SAMU e as 125 ASU (Auto Socorro de Urgência) dos Bombeiros. Também estarão a disponibilidade da estrutura dois helicópteros e dois aviões.

 

 

 

Unidades de Atendimento serão redistribuídas

 

 

Nos próximos meses será feito levantamento de demandas por região para a criação da nova estrutura e a redistribuição do atendimento. "Os dados das ocorrências irão nos mostrar onde há demanda reprimida pelo serviço. A partir disso vamos redistribuir o atendimento pelo Estado", explicou.

 

Atualmente, 16 municípios já trabalham com estruturas unificadas: Florianópolis, Palhoça, São José, Criciúma, Araranguá, Joaçaba, Curitibanos, Rio do Sul, Blumenau, Balneário Camboriú, Itajaí, Canoinhas, Lages, São Miguel do Oeste, Xanxerê e Chapecó.

 

Ainda não há levantamento de quanto a nova estrutura deve impactar nos cofres públicos nem quantos novos cargos poderão ser criados.



Fonte: ND Online/Portal Tri | Foto: Secom
 

Versão para impressãoVersão para impressão
 


-----...*As opiniões expressas nos comentários não condizem, necessariamente, com a opinião do grupo editorial do "Portal TiviNet" e estes são de responsabilidade de seus idealizadores.